Os 11 princípios da propaganda nazista

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Eu sempre ouvi falar da famosa (e terrível) propaganda nazista, mas nunca me apronfudei muito no assunto até o ouvir o Braincast 66  sobre o tema.

Além da frase famosa de J. GOEBBELS que era Ministro da Propaganda do III Reich, “uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade”, a propaganda nazista segue 11 princípios que, não por acaso, são utilizados até hoje pela imprensa e pelos governos de plantão.

Adolf-Hitler

 

Estou publicando estes princípios, pois é importante conhecer as armas que usam contra nós. Notem que não estou chamando ninguém de nazista e sim que utilizam princípios de sua propaganda. Seguem os princípios:

1) Princípio de simplificação e do inimigo único: Adotar uma única idéia; um único símbolo; individualizar o adversário em um único inimigo.

2) Princípio do método de contágio: Reunir os adversários em uma só categoria ou indivíduo. Os adversários tem de constituir-se em suma individualizada.

3) Princípio da transposição: Atribuir ao adversário os próprios erros ou defeitos, respondendo o ataque com o ataque: “Se não podes negar as más notícias, inventa outras que as distraiam”.

4) Princípio do exagero e desfiguração: Converter qualquer anedota, por pequena que seja, em ameaça grave.

5) Princípio da vulgarização: “Toda propaganda deve ser popular, adotando seu nível ao menos inteligente dos indivíduos, aos que se dirige. Quanto maior seja a massa a convencer menor há de ser o esforço mental a fazer. A capacidade de entendimento das massas é limitada e sua compreensão rara; além do mais tem grande facilidade para esquecer.”

6) Principio de orquestração: “A propaganda deve limitar-se a um número pequeno de ideias e repetí-las incansavelmente, apresentando-as de diferentes perspectivas; mas sempre convergindo sobre o mesmo conceito. Sem ranhuras nem dúvidas”. Daquí vem também a famosa frase: “Se uma mentira se repete suficientemente, acaba por converter-se em verdade”.

7) Principio de renovação: Emitir constantemente informações e argumentos novos a um ritmo tal que, quando o adversário responda, o público está já interessado em outra coisa. As respostas do adversário nunca devem poder contrariar o nível crescente de acusações.

8) Principio da verossemelhança: Construir argumentos a partir de fontes diversas, através dos chamados balões de ensaios ou de informações fragmentadas.

9) Principio do silêncio: Calar sobre as questões das quais não se tem argumentos e encobrir as noticias que favorecem o adversário; também contraprogramando com a ajuda de meios de comunicação afins.

10) Principio da transfusão: Por regra, a propaganda opera sempre a partir de um substrato preexistente, seja uma mitología nacional ou um complexo de ódios e prejuízos tradicionais. Se trata de difundir argumentos que possam se nutrir em atitudes primitivas.

11) Principio da unanimidade: Convencer muita gente que se pensa “como todo o mundo”, criando impressão de unanimidade.

A partir de agora, em alguns textos políticos que escrever vou fazer essa referência a esses princípios para poder desmistificar a boa vontade e imparcialidade da imprensa e o bom mocismo do governo.

facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixar uma resposta